GRANDE ILHA – O vereador Honorato Fernandes (PT), utilizando a tribuna durante a sessão plenária de hoje (25), questionou os caminhos tomados pela gestão do Executivo Municipal em diversas áreas, como educação, saúde, mobilidade e infraestrutura.

Ao tratar da educação, o parlamentar frisou a confusão gerada pela dificuldade enfrentada por inúmeros pais na realização das matrículas online dos alunos da rede municipal de ensino. “Na área da educação o que temos visto é a ausência de condições mínimas que garantam o acesso das nossas crianças a este direito essencial, cujo dever de ofertá-lo é prerrogativa do poder Executivo Municipal”, destacou o vereador.

No que tange a rede de saúde municipal, Honorato reconheceu que as deficiências do setor são históricas, no entanto, cobrou o comprometimento da atual gestão, destacando algumas carências do setor.

“Na saúde, a deficiência do setor é histórica sim, mas quem ocupa a cadeira atualmente não pode se furtar das responsabilidades inerentes ao cargo. Dessa forma, como nós podemos conceber que São Luís, a capital do estado do Maranhão, não tenha uma maternidade municipal e que pra se fazer uma ressonância, e receber o resultado, o paciente precise esperar por volta de noventa dias?”, questionou o parlamentar, pontuando ainda que a gravidade dos problemas da rede de saúde municipal só não é maior devido o aporte que vem sendo dado pelo Governo do Estado a vários municípios.

“O que tem ocorrido é que o Governo do Estado do Maranhão tem extrapolado suas competências para dar um amparo ao Município, prova disso é a Casa de Ninar e o Hospital de Traumatologia e Ortopedia do Estado”, disse.

A ausência de políticas públicas voltadas para a zona rural, bem como a ocupação e o crescimento desordenado da região foi outro ponto destacado na fala do parlamentar.

“Na zona rural os desafios são ainda maiores. Lá a população sofre com a falta de iluminação, segurança, de infraestrutura, de drenagem, de políticas de incentivo à agricultura familiar, atividade que deveria ser a principal da maioria das famílias da região. E a ausência de políticas públicas para esta região é que tem levado a ocupação desordenada desse espaço e ao mesmo tempo, levado fsmilias para a periferia da área urbana de São Luis” explicou o vereador, que finalizou o pronunciamento, destacando novamente frequente ausência da Prefeitura nas discussões provocadas pela Câmara.

“Diante desse cenário calamitoso, como entender a frequente ausência da Prefeitura nas audiências e painéis propostos por esta Casa, a exemplo do painel sobre o Plano Diretor, que discutiu justamente a necessidade da revisão da lei para garantir crescimento e desenvolvimento sustentável da cidade? No entanto, nenhum representante da Prefeitura se fez presente no painel, nem nele, nem na audiência sobre mobilidade urbana, realizada dias depois”, finalizou.

BNC Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.