GRANDE ILHA – Passar alguns dias internado em um hospital já é bastante complicado para qualquer pessoa. Agora, imagina passar meses? Foi o que aconteceu com a estudante de 14 anos, Risoneide Miranda, que depois de quatro meses no Hospital Universitário da UFMA recebeu alta nesta sexta-feira, 15. No auge da sua adolescência, ela teve que se isolar para tratar uma doença autoimune chamada pênfigo foliáceo, conhecida popularmente como fogo selvagem. Trata-se de uma doença bolhosa, em geral benigna, caracterizada por grandes rupturas na epiderme que causam erosões na pele.

Mesmo com todas as dificuldades de seu tratamento, Risoneide não deixou de sonhar um só dia. E o fato de estar internada em um hospital na capital de seu estado, São Luís, aumentou sua esperança de realizar alguns de seus sonhos como, ver o mar e conhecer um shopping. Algo simples para alguns, mas para quem vive na pequena cidade de Carutapera, a 570 km da capital, quase impossível.

Na manhã desta quinta-feira, 14, a paciente pôde, finalmente, ter o seu sonho realizado, com o apoio da equipe multiprofissional da Unidade de Clínica Médica do Hospital Universitário da UFMA (HU-UFMA), vinculado a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Alguns membros da equipe fizeram uma surpresa para a adolescente e a levaram para passear pela cidade.

No roteiro, visitas ao centro histórico de São Luís, com paradas na Catedral Metropolitana, a Igreja da Sé, e no Palácio dos Leões, sede do Governo do Estado. Em seguida, foram rumo ao sonho de Rosineide, a praia, para apreciar a brisa e ver o mar. O passeio terminaria em um shopping da cidade, onde a garota pôde escolher e comprar roupas e sapatos, tudo doado pelos profissionais da Clínica Médica.

A felicidade tomou conta de Rosineide durante todo o passeio e a menina de sorriso fácil não conseguiu conter a emoção. “Foi uma manhã muito legal e divertida. Eu não esperava que o mar fosse assim, foi bem diferente do que eu imaginava. Apesar do tempo chuvoso, o mar é lindo, bem grande e cheio de navio”. Ela ainda contou sobre a aventura que foi passear no shopping. “Eu nunca tinha andado em uma escada rolante e a psicóloga disse para eu ter cuidado ao sair da escada para não cair. Isso me deu um medo, aí peguei na mão dela e saí da escada”, disse Rosineide com um sorriso estampado no rosto.   

Rossirene Miranda, mãe da paciente, que acompanhou todo o passeio, falou da satisfação de ver o desejo da filha realizado. “Fiquei muito feliz por minha filha ser tão bem tratada aqui. E realizar um sonho dela também foi um sonho meu, porque eu não conhecia o mar. E saber que amanhã iremos para casa me deixa mais feliz”, disse com os olhos marejados.

Saiba mais sobre a Ebserh

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação, administra atualmente 39 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas. O órgão, criado em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações nas 50 unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.

BNC Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.