MPERATRIZ – Na terça-feira, 15, ocorreu o lançamento da 41ª edição do “Jornal Arrocha”, criado pelo curso de Jornalismo da UFMA, Câmpus Imperatriz. Devido à pandemia do coronavírus, a edição é especial, e todo o trabalho, desde a sua produção até a finalização, foi desenvolvid o de forma remota.

A 41ª edição do Jornal Arrocha trata sobre os desafios causados pelo coronavírus, especialmente na região, trazendo voz de pessoas que enfrentaram o vírus e suas consequências de várias maneiras, além da homenagem para os que faleceram, tendo por objetivo servir futuramente como documento histórico.

O jornal tem formato digital e conta com 18 páginas entre matérias, reportagens, ensaios fotográficos e entrevistas com especialistas. Cada página do Arrocha é voltada a uma temática envolvendo a pandemia como a linha de frente, impactos econômicos, despedidas, comércios, esporte, entre outros, sempre com depoimentos de pessoas comuns.

O Jornal Arrocha tem 10 anos de fundação completados em julho de 2020, tendo geralmente duas edições anuais publicadas na internet. Este jornal surgiu dentro das disciplinas laboratoriais de Jornalismo Impresso, Programação Visual e Fotojornalismo, sendo idealizado pelo professor Alexandre Maciel, com suporte dos professores Marcus Túlio e Marco Gehlen.

O processo de produção das fotos da disciplina de Fotojornalismo para esta edição especial foi realizado com ajuda das próprias fontes: o repórter orientava os entrevistados pela internet sobre como queria a fotografia, e assim a fonte fazia o registro e o respectivo envio. A diagramação foi executada de forma remota pelos alunos, na disciplina de Programação Visual.

O docente Alexandre Maciel disse que o processo de produção durante a pandemia foi um desafio na obtenção de fontes para as matérias, já que o único contato era pela internet, porém, mesmo com essa dificuldade, o número de pessoas que aceitaram ser entrevistadas superou até de algumas edições anteriores.

Maciel também destacou que nunca teve que produzir um jornal de forma remota, já que um dos propósitos do Jornal Arrocha é ter contato direto com o público. “Nunca havia passado por um processo como esse, sempre estimulei a vivência do repórter com a matéria, mas, dessa vez, em respeito à ciência, a gente impediu que esses alunos fossem a campo, evitando riscos”, complementou.

O termo “arrocha”, apesar de ser lembrado como ritmo de dança, foi escolhido por ter como significado de “aperto”, “pressão” e “sufoco”, fazendo menção à rotina de um jornalista em um jornal diário. O jornal tem por objetivo contar histórias que não são mostradas pelas mídias tradicionais locais.

O Jornal Arrocha já foi escolhido duas vezes como o melhor jornal-laboratório do Nordeste no Intercom Inter-Regiões. Além disso, este ano, o relato de experiência “Jornal Arrocha: Olhar humanizado e contextualização” recebeu menção honrosa no 19° Encontro Nacional de Professores em Jornalismo, promovido pela Associação Brasileira de Ensino e Jornalismo (Abej).

Veja a edição 41 do Jornal Arrocha “Tempo de Pandemia”

Fonte: DCOM/UFMA

BNC Política

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.