Simone Tebet avisa Renan sobre candidatura: “Não sou candidata de mim mesma”

BRASÍLIA – A líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS), informou nesta terça-feira (22) ao senador Renan Calheiros (MDB-AL) que disputará, dentro da bancada, a indicação do partido à presidência da Casa. Embora negue publicamente a intenção de voltar ao cargo, Renan articula sua candidatura nos bastidores.

Os dois conversaram por telefone. “Agora estou livre para pedir voto na bancada. Faltava oficializar para ele e o Romero Jucá [presidente da legenda]”, disse a senadora ao Congresso em Foco. Segundo ela, Renan reagiu com naturalidade ao saber de sua intenção. “Ele não poderia reagir diferente. Todos têm direito a indicar um nome. Isso faz parte do processo”, completou.

Ela contou que também conversou com o candidato do PSL à presidência do Senado, o senador eleito Major Olimpio (SP), mas não revelou o teor do diálogo. “Como foi uma conversa fechada, prefiro que ele fale”, alegou. O Congresso em Foco tentou contato com Olimpio, mas ele não atendeu a ligação.

Sem firula

Simone Tebet disse que não há qualquer chance de retirar sua candidatura, que será submetida aos colegas em reunião da bancada no próximo dia 29. “Não existe a possibilidade de retirada. Sou candidata para ganhar dentro da bancada. Não sou de fazer firula”, afirmou.

A senadora afirmou que só decidiu se lançar à disputa porque foi procurada por colegas do MDB e de outros partidos que manifestaram desejo de que ela concorresse. “Não sou candidata de mim. Se me lancei, é porque alguns colegas se manifestaram nesse sentido”, explicou.

Renan se manifestou no Twitter, nesta tarde, sobre a candidatura da líder da bancada. “A candidatura da senadora Simone Tebet robustece o processo decisório, e consolidará ainda mais a união da nossa bancada. O fundamental é que cheguemos juntos ao plenário no dia 1 de fevereiro”, escreveu.

Onyx

Simone demonstrou irritação com a postura do DEM. O partido, que comanda três ministérios e a Câmara, se movimenta para lançar o nome de Davi Alcolumbre (AP), cuja candidatura é articulada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. Segundo a líder do MDB, senadores do DEM já lhe confirmaram que preferem enfrentar Renan a ela, por considerarem mais fácil derrotá-lo.

A senadora anunciou ontem seu interesse em disputar a indicação do partido. Segundo ela, é preciso ouvir as ruas e se adequar aos ventos das urnas. “É um novo tempo, são novos ventos. É hora de olhar para a frente e nos reinventarmos, sob pena de sucumbirmos. Há um clamor por renovação. Por isso, coloco a minha candidatura na bancada”, justificou.

Em novembro do ano passado, no lançamento das novas diretrizes do partido, a líder do MDB afirmou que os emedebistas precisam fazer autocrítica. “Precisamos ter humildade para reconhecer que não somos mais a saudosa sigla de que tanto nos orgulhamos. Não é mais assim que o povo nos enxerga”, disse.

Fonte: Congresso em Foco

BNC Política

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.