SÇAO LUIS – Cerca de 30% das empresas de ônibus que hoje tem contrato com o município de São Luís, para fazer o serviço de transporte público, estão com os salários muito atrasados.

As empresa Ratras, Grupo 1001, Marina, Pelé /patrol, Tapajós, Planeta /São Benedito e Vip não estão pagando os salários em dia, algumas com atraso de até três meses.

O que também é grave, revelando o desarranjo desse setor em São Luís, é que outras empresas sempre pagam com atrasos de 10 a 15 dias, falhando também com plano de saúde e ticket alimentação. Num total de 24 empresas, apenas a Primor estaria regular.

Essas informações foram passadas, para a Agência Tambor, pelo Sindicato dos Rodoviários, que representa motoristas e cobradores de ônibus, que estão em greve há mais de uma semana.

Com salários atrasados, sobrecarga de serviço e sem o reajuste salarial das trabalhadoras e dos trabalhadores, as empresas de ônibus são as principais responsáveis pelos problemas que provocaram a greve. E são responsáveis por todos os prejuízos, que a cidade vem tendo.

Com a greve, veio a tona a péssima qualidade do serviço oferecido por esses empresários de ônibus, o preço altíssimo das passagens e as reivindicações imorais dos empresários que, diante de todos esses desmandos, ainda querem receber dinheiro público para poder trabalhar.

Querem viver de uma espécie de “bolsa empresário”, paga pelo povo maranhense.

A Agência Tambor entrou em contato com o Sindicato das Empresas de Passageiros de São Luís (SET), para o ouvir o que eles têm a dizer sobre todos esses problemas. Falamos primeiro no número (98) 2106- 1845, onde fomos orientados a ligar para (98) 2106-1830. Não conseguimos resposta.

Fonte: Agência Tambor

BNC Cidades

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.