GRANDE ILHA – A Rádio Universidade FM 106,9 prepara uma grande mudança na sua identidade e na sua interação nos meios digitais, tendo seu início a partir da manhã de hoje, 25, quando foram apresentados os resultados de uma pesquisa entre seu público cujos dados foram coletados entre novembro de 2019 a janeiro deste ano, para saber mais sobre a faixa etária dos ouvintes, de que bairros escutam, qual o horário em que mais ouvem, quais são seus gostos e preferências em relação à programação, entre outros.

A pesquisa contou com 157 respostas e mostrou, baseada nas respostas, que maioria dos ouvintes da Rádio são de pessoas entre 41 e 59 anos e de 20 a 40 anos, oriundas de locais como São Luís, Paço do Lumiar, Teresina, Fortaleza e até de Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso. O trabalho detectou que o público tem grande gosto pela Rádio Universidade especialmente por também dedicar sua programação à valorização da música e dos artistas maranhenses. Um aspecto que surpreendeu a equipe foi de perceber que mais de 50% dos ouvintes escuta a Rádio pela manhã e 31,8% à noite, e menos à tarde, como era esperado.

A coleta de dados foi realizada por meio de questionário eletrônico via Google Docs, disponibilizado por meio de links nas redes sociais e no site, com divulgação via spots durante a programação e Whatsapp. “O que mais chamou a atenção foi a necessidade de a Rádio estar mais nas redes sociais, com programação voltada para elas. Comprovamos na pesquisa que, de fato, temos ouvintes antigos, que são muito presentes, inclusive mandando mensagens. Mas quando vimos que estávamos atingindo também um público mais jovem e que ambos estavam abertos às mídias sociais, ficamos muito satisfeitos”, disse Taliane Batalha, coordenadora de Relações Públicas da Rádio, que conduziu a aferição dos dados.

Em posse desses dados, o trabalho de “repaginar” a identidade e inserir a Rádio Universidade com mais força nos meios digitais ficará a cargo do estúdio criativo Dupla de Dois. A designer Juliana Fernandes, que também é egressa do curso de Turismo da UFMA e é sócia da publicitária Vitória Serra na criação e administração da empresa, disse que a ideia é inserir a Rádio de forma melhor no Instagram, Youtube, Facebook, Spotify e até no próprio site dela.

“A Rádio Universidade vai basicamente ser reinventada no mundo digital para poder abraçar esses ouvintes dessas faixas de idade. Acho que o maior desafio é chegar a essas pessoas, fazê-las conhecer a Rádio, saber que está aqui. Para nós, é uma satisfação imensa fazer parte desse projeto, porque a Rádio Universidade é uma coisa que a gente gosta, que nossas famílias gostam. É um mix de alegria e euforia dessa oportunidade ímpar, queremos fazer este trabalho da melhor maneira possível”, expressou Juliana.

O coordenador de Núcleos da Rádio, Paulo Pelegrini, reforçou outro aspecto da proposta: criar meios de conseguir recursos por meio de veiculação de publicidade nas redes sociais. “É uma necessidade da emissora de aumentar as formas de captação de recursos diante de um cenário de crise que se arrasta há muito tempo. A rádio sempre teve excelentes relações de mercado, apoiadores culturais de alto nível, e precisamos recuperar as perdas em função da crise econômica e da pandemia, e utilizando novas ferramentas. Precisamos utilizar os meios digitais, as redes sociais e o site, que na verdade já usamos, mas precisamos otimizar essa possibilidade”, revelou.

O diretor da Rádio Universidade, Euclides Moreira Neto, se mostrou otimista sobre o trabalho de inserção mais forte nas redes sociais e maior contato com o público. “A comunicação é uma coisa dinâmica, e a tecnologia está aí para favorecer a interação junto ao público consumidor. Com a pandemia, isso ficou bastante evidente, e a Rádio está tentando se adequar. Queremos abraçar essa causa de não ficarmos só nas ondas, queremos estar presentes nos celulares, nas mídias digitais e nas várias plataformas para viabilizarmos a Rádio como equipamento atuante na comunidade”, enfatizou.

O superintendente de Comunicação e Eventos da UFMA, Fernando Oliveira, afirmou que outros núcleos comunicacionais da Universidade também estarão envolvidos em prol de um dos veículos mais tradicionais do Maranhão, que é a Rádio Universidade, fundada em 21 de outubro de 1986. “Vamos fazer uma campanha de comunicação integrada a fim de reposicionar a Rádio Universidade no cenário local. A proposta é ampliar a faixa etária do público ouvinte, atraindo os mais jovens, sem comprometer a identidade e a qualidade que a emissora conquistou em mais de três décadas”, realçou.

Confira os resultados da pesquisa de público

BNC Cidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.