Presos em operação contra pedofilia tinham vídeos de bebês molestados

SÃO PAULO – O material apreendido pela Polícia Civil nesta sexta-feira (20), durante a operação de combate a pedofilia, inclui vídeos de bebês sendo molestados e uma cartilha com orientações de como abordar crianças, de acordo com o Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP).

A Polícia Civil realizou a operação Luz da Infância para combater a pedofilia em 24 estados e no Distrito Federal. A Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão subordinado ao Ministério da Justiça, fez parceria com a Polícia Civil dos estados.

A delegada do DHPP, Elisabeth Sato, disse que alguns policiais que participaram da operação estão acostumados a investigar homicídios e não trabalham diretamente com pedofilia, e ficaram muito assustados com o que viram.

“Os policiais ficaram indignados com as imagens. Não tínhamos ideia do que iríamos encontrar nas imagens em razão das idades das crianças. Tinham bebês de 6 meses sendo molestados”, disse Elizabeth Sato, diretora do DHPP em coletiva na tarde desta sexta, após a operação.

De acordo com o Ministério da Justiça, 108 pessoas foram presas em flagrante. A operação contou com 1.100 policiais para mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva. A polícia efetuou um total de 108 prisões, 143 mandados cumpridos e 151.508 arquivos foram rastreados.

O armazenamento de arquivos gera uma pena de 1 a 4 anos de reclusão – é um crime afiançável, por isso, os presos por este crime deixam as delegacias ainda nesta sexta. Os outros presos, que compartilhavam material, terão penas de 2 a 6 anos de prisão e só o juiz determinará se aguardarão presos ou em liberdade em uma audiência de custódia, que será realizada no sábado (21).

São Paulo

A etapa paulista da operação começou em Brasília. Há 15 dias, os técnicos mandaram os endereços dos alvos. Os policiais de São Paulo confirmaram as identidades dos suspeitos e nesta sexta partiram para efetuar as prisões.

No final da madrugada, os policiais saíram para cumprir 37 mandados de busca e de apreensão, mas acabaram trazendo para o Departamento de Homicídios 25 presos em flagrante, 23 deles presos por armazenar material pornográfico infantil, e dois deles por compartilhar este material.

“Foram 25 casos em São Paulo, sendo 23 presos em flagrante pelo crime 241-A, que é o compartilhamento de imagens de pedofilia. Este crime é inafiançável. Outros dois foram presos pelo artigo 241-B, que é o armazenamento de imagens de pedofilia”, disse a diretora do DHPP.

Também foram apreendidos 54 computadores, 43 celulares e 270 materiais gravados com pornografia infantil. Tudo isso está sendo encaminhado para a perícia e será analisado nos próximos dias. Desse material, a polícia vai definir por qual crime essas pessoas poderão responder.

Fonte: G1

BNC Polícia

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*