Lula deve ser questionado pelos erros de seu governo, diz Guilherme Boulos

SÃO PAULO – Convidado pelo Psol para representar o partido nas eleições presidenciais de 2018, Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), em passagem por Florianópolis (SC), se esquivou de falar sobre sua possível candidatura e defendeu legado deixado pelo governo do ex-presidente Lula. No entanto, apesar do reconhecimento, o líder dos sem-teto ponderou que o petista deve responder por erros cometidos.

“Tenho o maior respeito pelo Lula, pela sua trajetória, pelo o que ele representa. É a maior liderança social do país, sem dúvida alguma. Mas isso não quer dizer que eu não tenha diferenças com o Lula. Ele deve ser reconhecido nos acertos, na sua trajetória, mas deve ser questionados nos erros de seu governo”, disse o líder dos trabalhadores sem-teto.

Bolos não poupou o petista e criticou sua aproximação com os senadores peemedebistas Eunício Oliveira (CE) e Renan Calheiros (AL). “Eu não acho admissível em um momento como esse elogiar o Meirelles e andar com Renan e Eunício. Tenho diferenças e coloquei essas diferenças de forma clara e honesta para o próprio Lula”, disse logo após conversa com servidores da Saúde, durante passagem por Florianópolis no último dia 29 de novembro.

Sobre a condenação imposta ao petista pelo juiz  Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, ele classificou como “injusta”

Convidado pelo Psol para representar o partido nas eleições presidenciais de 2018, Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), em passagem por Florianópolis (SC), se esquivou de falar sobre sua possível candidatura e defendeu legado deixado pelo governo do ex-presidente Lula. No entanto, apesar do reconhecimento, o líder dos sem-teto ponderou que o petista deve responder por erros cometidos.

“Tenho o maior respeito pelo Lula, pela sua trajetória, pelo o que ele representa. É a maior liderança social do país, sem dúvida alguma. Mas isso não quer dizer que eu não tenha diferenças com o Lula. Ele deve ser reconhecido nos acertos, na sua trajetória, mas deve ser questionados nos erros de seu governo”, disse o líder dos trabalhadores sem-teto.

Bolos não poupou o petista e criticou sua aproximação com os senadores peemedebistas Eunício Oliveira (CE) e Renan Calheiros (AL). “Eu não acho admissível em um momento como esse elogiar o Meirelles e andar com Renan e Eunício. Tenho diferenças e coloquei essas diferenças de forma clara e honesta para o próprio Lula”, disse logo após conversa com servidores da Saúde, durante passagem por Florianópolis no último dia 29 de novembro.

Sobre a condenação imposta ao petista pelo juiz  Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, ele classificou como “injusta”

BNC Política

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*