GRANDE ILHA – O técnico em refrigeração Diego Soares Ferreira, 28, saiu cedo da cidade Operária, onde mora, para ir até o prédio anexo do HU-UFMA, na rua das Hortas, Centro, em que estava acontecendo a ação pelo dia Mundial da Voz.  Ele teve uma inflamação na garganta há dois meses e mostrava-se preocupado. “Queria saber que problema teria com a minha voz”, disse o rapaz que estuda canto na Escola de Música de Ribamar. Autônomo, ele não se importou de perder um dia de trabalho para cuidar da saúde vocal.

Assim como o estudante, outros pacientes tiveram a mesma preocupação e foram em busca do atendimento feito por profissionais do HU-UFMA. Depois de assistirem, atentos, a uma palestra educativa sobre saúde vocal, ministrada pelas fonoaudiólogas Ana Maria Vasconcelos e Monique Lopes, passaram por uma triagem para avaliar a qualidade da voz. “O protocolo identifica os principais problemas da voz, qualificando-os e quantificando-os”, definiu a fonoaudióloga Renata Pinheiro, da Unidade de Reabilitação do Materno Infantil. 

Outro que aproveitou o evento para procurar um especialista foi José de Fátima Barros dos Santos, 59, agente de portaria em uma creche na cidade de Rosário, a 75 Km de São Luís. “De tanto falar alto por conta do ruído acho que estou tendo problema com a voz”, queixou-se, enquanto aguardava para fazer um diagnóstico.

Uma equipe formada por seis fonoaudiólogos se revezavam durante toda a ação, que incluía o exame de videolaringoscopia, realizado em caso de sintomas como a rouquidão, pigarro, dor na garganta e tosse. “É uma espécie de endoscopia da garganta que permite visualizar a laringe/cordas vocais e dessa forma auxilia no diagnóstico de laringites, tumores da laringe, nódulos vocais, pólipos vocais, paralisia de prega vocal, refluxo laringo- faríngeo, entre outros”, explicou a fonoaudióloga Cristine Matos. O HU-UFMA está entre as duas únicas instituições que oferecem esse exame na rede pública do estado. 

Detectada a necessidade de tratamento os pacientes seriam encaminhados para agendamento na Rede de Atenção à Saúde. Além de promover a conscientização da população sobre a importância da voz humana para a promoção da saúde, o evento alertou para sinais e sintomas que favoreçam o diagnóstico precoce de doenças. Entre elas, o câncer de laringe, que pode comprometer a qualidade de vida e a própria sobrevida dos indivíduos.

Dicas para a saúde vocal:

Beber bastante líquido

Alimentação saudável

Evitar gritar ou abusar da voz

Evitar pigarrear

Respirar corretamente

Falar pausadamente

Comer maçã por ser uma fruta adstringente (aperta a mucosa da boca) e facilitadora do trato vocal.

BNC Cidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.