GRANDE ILHA – O Governo do Estado continua trabalhando para garantir a abertura de novos leitos hospitalares para tratamento de pacientes acometidos pela Covid-19. Nesta sexta-feira (1º), foi iniciada a obra de montagem do primeiro hospital de campanha da Ilha de São Luís. A instalação da estrutura está sendo realizada no pavilhão de eventos do Multicenter Negócios e Eventos, de propriedade do Sebrae-MA, espaço requerido através de decreto governamental.

A região formada pelos municípios de Raposa, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e a capital São Luís, concentra atualmente mais de 90% dos casos do novo coronavírus do estado.

O secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, realizou uma vistoria no local e falou sobre o trabalho contínuo da pasta para continuar aparelhando a rede estadual de saúde e garantindo o atendimento aos pacientes com o novo coronavírus. “Estamos começando a montagem do hospital de campanha, que contará com 200 leitos, sendo 190 clínicos e 10 de UTI. A estrutura será administrada pela Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), com apoio da Casa Civil. Assim, seguiremos nosso trabalho de cuidar da população maranhense nessa pandemia do novo coronavírus”, afirmou o secretário.

O presidente da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), Marcos Grande, que também participou da vistoria, falou sobre o prazo para a entrega da obra. “A EMSERH vai administrar esta estrutura do Governo do Estado com o mesmo emprenho e com a mesma sensibilidade que tem administrado todas as unidades nesse processo de pandemia. Nosso planejamento é que ainda em maio o hospital de campanha já comece a receber pacientes”, relata o presidente da EMSERH.

“Essa unidade que tem seus serviços de montagem iniciados hoje, conta também com a parceria da EMAP para proporcionar a oferta de novos leitos para a população de São Luís. Todos nós comemoramos o início desta obra, mas eu tenho certeza que a grande comemoração será no final da pandemia, quando esta estrutura deixará de ser necessária”, disse o secretário-chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares, que participou da comitiva que vistoriou o início da montagem da estrutura. 

De acordo com o decreto nº 35.779, a cessão do espaço deve vigorar por 90 dias, contados a partir da publicação, sendo prorrogável por igual período, enquanto perdurar o estado de calamidade declarado pelo Governo do Estado. 

A montagem do hospital é resultado de uma parceria entre a Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP), Vale, Secretaria de Estado da Saúde (SES) e Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH), que será a administradora da unidade.

BNC Cidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.