GRANDE ILHA – Tendo em vista o cenário da pandemia da Covid-19, a Diretoria Interdisciplinar de Tecnologias na Educação (Dinte) da Universidade Federal do Maranhão se mobilizou para criar alternativas de qualificação de professores e ofertar para a comunidade em geral cursos on-line, por meio de um novo site, o EaD para Você, que já oferece mais de 20 cursos, todos de forma gratuita.

Para falar da importância das metodologias digitais no ensino, entrevistamos a diretora da Dinte, professora Ana Emília Figueiredo de Oliveira. Entre outras coisas, ela diferencia  ensino a distância de ensino remoto, apresenta a estrutura que a UFMA oferece para o ensino on-line, destaca  a Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde da UFMA (UNA-SUS-UFMA) e a Universidade Aberta do Brasil (UAB), destaca a possibilidade de implantação da pós-graduação strictu sensu via EaD, entre outros assuntos. Confira.

Educação a distância e ensino remoto são a mesma coisa?

Ana Emília Figueiredo: Na realidade, não são a mesma coisa. A confusão acontece pelo emprego de tecnologias da informação e comunicação, as chamadas TICs, em ambas as modalidades de ensino. O ponto em comum é a mediação tecnológica como base para seu desenvolvimento. Porém, a similaridade é apenas essa. A educação a distância pressupõe um processo de desenvolvimento da aprendizagem baseado na interatividade e na autonomia do aluno de adaptá-la à sua realidade. Na EaD, estudantes e professores desenvolvem suas atividades educativas em lugares ou tempos diversos. Possui concepção didático-pedagógica, estrutura flexível e modo de funcionamento próprios, mais robustos e capazes de abranger todo um processo avaliativo de forma remota. Os conteúdos são ofertados por mídias diversas, permitindo que o discente aprenda da melhor forma. Um ambiente virtual de aprendizagem é o espaço para concentrar a informação, registrar as interações e as atividades. Pode contar com a figura de um tutor ou não, no caso dos cursos autoinstrucionais, sendo esta uma modalidade altamente escalável e internacionalmente conhecida como massive open on-line courses. O ensino remoto, por sua vez, é uma adaptação do ensino presencial a uma situação emergencial, como tem ocorrido com grande frequência no cenário atual, de pandemia do novo coronavírus, Sars-CoV-2. Envolve o emprego das TICs para permitir que as aulas ocorram remotamente, e que atividades e conteúdos sejam entregues por algum meio: aulas ao vivo ou gravadas, lista de atividades pelo e-mail ou agenda virtual, dentre outros. Portanto, apresenta material personalizado e calendário adaptado ao contexto. Ademais, o professor da disciplina atua e interage com os alunos, a presença na sala virtual é obrigatória e aferida pelo professor, como no ensino presencial.

Como a UFMA está estruturada para oferecer ensino a distância e qual é a abrangência da EAD hoje na UFMA?

AEF: Modernização de processos e inovação têm sido a tônica da administração Natalino Salgado, por meio da Diretoria de Tecnologias na Educação da Universidade Federal do Maranhão, juntamente com a Superintendência de Tecnologias da Informação, com o Anilton Maia à frente. Estamos desenvolvendo um processo de aprimoramento na esfera da educação a distância para subsidiar a comunidade acadêmica nas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Para melhor elucidar essa pergunta, sugiro que estratifiquemos a resposta em três partes fundamentais:

  1. Realidade tecnológica da STI-UFMA:Sem ferramentas tecnológicas não se pode falar de ensino remoto ou educação a distância. Portanto, muitos foram os avanços e conquistas, nesses primeiros meses da gestão, no Ecossistema Computacional da UFMA, que já disponibilizou várias ferramentas inovadoras à comunidade acadêmica, dentre as mais conceituadas no mercado tecnológico internacional e nacional. E essas ferramentas já comprovaram ser de suma importância para a redução das barreiras existentes entre o professor e o aluno no ensino remoto e para potencialização da educação a distância. As plataformas Google para Educação e Microsoft Team são grandes exemplos disto, bem como as salas de videoconferências da RNP, do Google Meet e as ferramentas do Microsoft Office na nuvem de forma gratuita, dentre várias outras.

Pode-se destacar que a disponibilização da G Suite, serviço do Google que oferece vários produtos Google que podem ser personalizados de forma independente com o nome de domínio do cliente, possibilitou a conquista de uma antiga demanda da comunidade acadêmica de nossa Instituição, a de um e-mail institucional seguro, que ainda vem acompanhado de uma grande capacidade de armazenamento no Google Drive, dentre outros valiosos benefícios dos produtos Google.

Além disso, outras novidades farão parte brevemente dessa dinâmica e inovadora realidade UFMA, citando-se também as advindas das parcerias firmadas com a IBM e com a Amazon. Assim, de forma contínua novas implementações serão incorporadas ao Ecossistema Computacional da nossa Instituição, que com esse enorme salto, em tempo tão curto, comprova o caráter empreendedor empregado pela nova gestão.

E ainda neste tópico de ferramentas tecnológicas, não podemos deixar de destacar outra ação a que esta nova gestão da Dinte tem se dedicado muito, que é o trabalho de integração dos sistemas desenvolvidos na esfera da EaD pelo Grupo de Pesquisa Saite-UNA-SUS-UFMA, todos de propriedade da UFMA. E nessa empreitada tenho que ressaltar o quão valioso tem sido o apoio da STI, haja vista que estamos trabalhando em parceria para disponibilizar várias ferramentas inovadoras para a toda a UFMA, como o Saite AVA, o Sistema de Gestão e Construção do TCC, Sistema de Monitoramento de Tutores e Alunos, uma Central de Dados na esfera da EaD, sistemas de games, dentre outros.

  1. Realidade da DINTE:A Dinte, que tem na democratização do conhecimento um dos seus principais pilares, possui, sob a sua responsabilidade nesta nova gestão, dois grandes programas ministeriais que exigem bastante dedicação dos membros da nossa Diretoria, no caso a Universidade Aberta do SUS, pelo Ministério da Saúde, e a Universidade Aberta do Brasil, pelo MEC.

Universidade Aberta do SUS (UNA-SUS-UFMA) foi implantada na primeira gestão do nosso reitor Natalino Salgado em 2009, e por meio do apoio institucional e uma gestão dinâmica e inovadora, alcançou grande destaque no cenário nacional. Com foco permanente na democratização do conhecimento, a gestão da UNA-SUS-UFMA deu ênfase à disponibilização do formato mobile e à produção de aplicativos em todos os cursos e produções tecnológicas voltadas para os alunos; implantou o desenvolvimento e aprimoramento contínuo de ferramentas inovadoras que resultaram em um forte ecossistema computacional de reconhecimento nacional e internacional.

Essas inovações, amparadas por um robusto suporte pedagógico de apoio ao aluno, à gestão, à produção, à oferta de cursos e à pesquisa justificam resultados bastante expressivos, com por exemplo, mais de 500 mil matrículas na UNA-SUS-UFMA no quadriênio 2016-2019, mais de 85 mil matrículas em seus cursos, nos cincos primeiros meses deste ano e 49 registros no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual de sistemas para aplicação na esfera da educação a distância.

Só para ilustrar, um curso sobre a Covid-19 desenvolvido pela UNA-SUS-UFMA, lançado no dia 3 de abril deste ano, atingiu mais de 55 mil inscritos com 30 dias de início da oferta. E todos os meses faremos novos lançamentos, e atualmente cerca de 45 cursos encontram-se em produção, todos com carga horária entre 30 a 60 horas. Os cursos da UNA-SUS-UFMA ficam disponíveis por seis meses e para matrícula por cinco meses.

Os cursos da UNA-SUS-UFMA são abertos, inteiramente gratuitos, sem limites de vagas e com certificação garantida a todos os aprovados. E para ampliar a democratização do conhecimento, a UNA-SUS-UFMA disponibiliza todos os seus cursos na palma da mão e aos que têm limitação de internet, disponibiliza ainda e-books interativos para todos os cursos, que podem ser acessados mesmo off-line em smartphones simples e estão disponíveis no app Saite Store, cujo download pode ser feito gratuitamente no Google Play e na Apple Store.

Universidade Aberta do Brasil (UAB-UFMA) oferece atualmente dez cursos de graduação na modalidade a distância, em 18 polos, localizados em cidades de diferentes macrorregiões do estado do Maranhão. A Especialização Ciência é 10 está aguardando a abertura das escolas para ter início. Estão previstos para 2021 mais cinco ofertas de graduação e três especializações.

Sobre o portal EaD para Vocêpelo fato da Dinte entender ser também a sua missão prestar apoio à nossa Instituição neste momento tão peculiar de pandemia, a equipe tem trabalhado incessantemente no portal. Isto porque boa parte do quadro de docentes possui limitações para preparar o seu material didático para o trabalho remoto ou para realizar interação virtual com os discentes, haja vista que as atividades da UFMA são eminentemente presenciais. O intuito, portanto, do portal é fornecer um suporte técnico à comunidade acadêmica da UFMA, prioritariamente aos professores inicialmente, subsidiando-os na aquisição de conhecimentos na esfera das tecnologias na educação por meio de informações, disponibilização e informações de cursos, ferramentas, webinários, repositórios, notícias, treinamentos, dentre outras iniciativas educacionais.

Exemplificando ações importantes já disponibilizadas no portal, podemos citar  o curso “Produção de Recursos Autoinstrucionais para EaD (PRA-EaD)” da UFMA,  composto por três módulos de 60 horas, com certificação garantida pela UFMA aos que o concluírem com sucesso, o que poderá ocorrer pelo todo, como curso de aperfeiçoamento de 180 horas, ou pelas partes como cursos de extensão de 60 horas.  Essa foi uma iniciativa da Dinte e do Grupo de Pesquisa Saite da UFMA, que, mesmo sem recursos para tal, juntaram esforços para produzir esses cursos e fizeram questão de disponibilizar a oferta para acesso livre, inteiramente gratuito, sem limites de vagas.

E, nesta oportunidade, destacamos a valiosa parceria com a Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), por meio do grande apoio da pró-reitora Zefinha e da diretora Li Chang Shuen para esse lançamento. Inclusive, nós lançamos o curso PRA-EaD no mesmo dia da paralisação das atividades acadêmicas pela UFMA, já iniciando ali a nossa colaboração com o momento, portanto antes mesmo do lançamento do portal. Porém, posteriormente, deixamos a sua divulgação e possibilidade de acesso também pelo portal. Vale ressaltar que a Capes recomendou esse curso a todos os assistentes a docência de todos os polos da UAB do Brasil, e isso certamente imprime um selo de reconhecimento da qualidade ao nosso curso.

O portal também disponibiliza uma ferramenta para construção de e-book em formato e-pub, a Saitebooker, com as respectivas orientações. Essa extensão e-pub é um formato que possibilita acesso aos alunos, mesmo em celulares mais simples e de forma off-line. A ferramenta Saitebooker foi desenvolvida pelo Grupo Saite e registrada em nome da UFMA, portanto é um produto da nossa instituição que vale ouro em um momento como esse, pois é uma ótima forma de democratizar o conhecimento.

Todas segundas, quartas e sextas temos webnários em temáticas da EaD de grande interesse ao professor da UFMA que precisa adquirir conhecimentos para iniciar as suas ações docentes, incorporando as tecnologias na educação. Todos os vídeos desses webnários ficam depois arquivados no portal.

O portal disponibiliza também uma página com várias opções de repositórios, em que os usuários poderão buscar objetos de aprendizagem de acesso livre e gratuito para inserirem em suas disciplinas.

Sobre o SIGAA, também estão disponibilizadas orientações sobre como acessar, gerenciar e aproveitar todas as funcionalidades que o sistema oferece para interação com o aluno. Orientamos ainda como abrir salas virtuais de webconferências e muito mais.

E, como próxima novidade, lançaremos o Ambiente Virtual de Aprendizagem do Portal, no início da próxima semana, com cerca de dez cursos rápidos, inteiramente gratuitos, em temáticas bem importantes para subsidiar o professor da UFMA no desenvolvimento do seu material didático. E em todas as semanas subsequentes, pretendemos implantar novos cursos no AVA EaD para Você.

Disponibilizaremos uma página no portal também com várias informações de cursos externos gratuitos e bem apropriados ao momento, na esfera das tecnologias da informação, dentre outras iniciativas.

Para o mês de junho, teremos o lançamento do blog EaD para Você em nosso portal, e várias outras novidades que gostaríamos sempre de poder informar por aqui, neste ótimo espaço de divulgação.

E assim, na elaboração da proposta do portal, nós tínhamos que considerar uma miríade de particularidades, para que o portal pudesse realmente atender os objetivos a que nos propusemos com essa iniciativa. E é nisso que estamos trabalhando incessantemente.

Com as conquistas tecnológicas já alcançadas nesta gestão, com o lançamento recente do Portal EaD para Você, com o trabalho de inserção do ecossistema do Grupo Saite à EaD da nossa Instituição e também com a contínua expansão e já forte consolidação da UNA-SUS-UFMA no cenário nacional, a Universidade Federal do Maranhão se posiciona como uma universidade brasileira capaz de oferecer ensino a distância com inovação e dentro de um padrão de qualidade e reconhecimento já conquistado com a UNA-SUS-UFMA.

Muito importante se faz ressaltar ainda que a UFMA está realizando uma pesquisa para avaliar as condições de desenvolvimento da EaD na instituição. A Dinte vem acompanhando de perto a pesquisa sobre a abrangência do EaD na UFMA. A pesquisa, concebida e coordenada pela professora Li Chang Shuen, do Departamento de Comunicação da UFMA e diretora de Assuntos Culturais da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura, e por Anilton Maia, subsidiará as ações que serão implementadas na Instituição para o ensino a distância. Estamos aguardando até o dia 31 de maio deste ano, quando a pesquisa se encerrará, para ter uma visão mais concreta do nível em que se encontra a UFMA no momento em relação à EaD.

Que recursos o(a) professor(a) que precise implantar uma disciplina remotamente tem a sua disposição na estrutura da Dinte?

AEF: A Diretoria Interdisciplinar de Tecnologias na Educação da UFMA disponibilizará, atualmente, aos professores UFMA, por meio do portal EaD para Você, diferentes meios efetivos de orientação ao trabalho docente para o ensino remoto e/ou para a educação a distância. Com a sua experiência na esfera das tecnologias na educação, a Dinte tem capacidade técnica de promover, por meio do portal EaD para Você, os subsídios necessários ao corpo docente da UFMA no que diz respeito à implantação de disciplina remota e incorporação das Tecnologias na Educação para essa sua nova realidade docente.

Quais estratégias existem planejadas para preparar o(a) professor(a) que queira trabalhar com aulas remotas, mas não tenha condições para fazer isso?

AEF: O Portal EaD para Você é hoje a principal estratégia planejada pela Dinte para dar suporte ao trabalho remoto do docente. Conforme já referenciado, o portal EaD para Você disponibiliza conhecimentos na área de tecnologias na educação à comunidade acadêmica, por meio de informações e oferta de cursos, ferramentas tecnológicas, webinários, repositórios, notícias, dentre outras iniciativas educacionais. O portal possui um conteúdo rico e diverso de objetos de aprendizagem que desmistificam o uso de TICs e facilitam o processo de adaptação para seu emprego nas aulas remotas.

Com uma equipe enxuta, que não tem como propiciar um atendimento individualizado, mas muito competente e com forte espírito de colaboração, a Dinte sempre buscará formas criativas para subsidiar os professores neste momento de grandes dificuldades, mas também de grandes possibilidades de crescimento individual e pessoal.

Sempre que se fala em implantação do ensino remoto nas universidades, como está ocorrendo neste momento de pandemia, muitos afirmam que a condição socioeconômica dos alunos não favorece esta ação, pois há uma quantidade de estudantes que não têm conectividade, nem computador, nem celular com condições de realizar as tarefas. Nesse sentido, qual é o real cenário da UFMA para uma possível implantação da educação a distância?

AEF: Só posso responder a uma questão de importância vital para o nosso trabalho como esta quando o resultado final da pesquisa, que vem sendo monitorada pela professora Li-Chang Shuen e pelo Anilton Maia, for divulgado, no dia 31 de maio e, principalmente, quando tomar conhecimento do direcionamento administrativo do nosso reitor. Adianto, porém, que a gestão superior vem buscando incansavelmente meios para reduzir os impactos e atender não somente àqueles que têm meios para realizar e se utilizar do ensino remoto. Certamente a atual gestão anseia por permitir que aqueles que, por vários motivos, encontram-se excluídos desse processo, sejam nele inseridos, permitindo que UFMA desempenhe ainda de forma mais expressiva o seu papel humano e social de integração e redução de diferenças, e tenho a certeza de que o nosso reitor tudo fará para atender a todos os nossos discentes.

A senhora acredita que, depois dessa pandemia, a EaD vai passar a ser uma realidade nas universidades públicas? Ou ela vai continuar sendo “um curso à parte” do presencial?

AEF: A pandemia vem modificando nossa forma de viver e estar no mundo. Não seria diferente nas universidades públicas. Ninguém tem dúvida de que haverá mudanças profundas em nossa forma de ensinar, de aprender, de pesquisar e fazer extensão e quase tudo vai passar pela mediação das tecnologias na Educação. Nesse sentido, a EaD já é uma modalidade de ensino bastante reconhecida nas instituições de ensino superior no Brasil e no mundo. Nas universidades públicas, decerto que ela deixará de ser “um curso à parte” para se tornar reconhecida pelo valor e pelas possibilidades de aprendizagem, de desenvolvimento e de formação que apresenta.

Com a Portaria MEC Nº 2.117, de 6 de dezembro de 2019, que aumenta a possibilidade de carga horária a distância nos cursos presenciais de 20% para 40%, e com as resoluções de autorização do MEC para a substituição das disciplinas presenciais por aulas que utilizem meios e tecnologias de informação e comunicação durante a pandemia da Covid-19, a tendência é que cada vez mais disciplinas das instituições federais façam uso da modalidade EaD. Porém essa modalidade de ensino só irá se consolidar se for utilizada de forma correta, com respeito a um planejamento pedagógico adequado, aplicação dos conhecimentos apropriados, apoio institucional e engajamento verdadeiro do quadro docente.

Como se pode avaliar a qualidade da educação a distância? Existem dados que comprovam a sua eficácia?

AEF: A avaliação da qualidade da educação a distância é realizada pelo MEC da mesma maneira que avalia cursos presenciais. Em 2003, foi elaborada a primeira versão dos referenciais de qualidade da educação a distância. E em 2007, o documento originário passou por uma revisão, dada a necessidade de atualização do documento anterior, tendo em vista a dinâmica do setor e a renovação da legislação, e uma comissão de especialistas foi composta para sugerir mudanças no novo documento. Os Referenciais de Qualidade em EaD podem ser acessados diretamente no site do MEC.

Mas a educação a distância, ao contrário do que se pode pensar, não é uma modalidade de ensino recente. Seus dados são até mais fáceis de serem levantados que os do presencial, pois todas as ações são planejadas com antecedência e executadas em um ambiente virtual, controlado, que registra todas as atividades dos atores nela envolvidos.

Assim como o presencial, os cursos a distância da graduação também são avaliados pelo Inep, seus alunos fazem Enade, os cursos têm nota e conceitos que influenciam nas notas das universidades e os dados até aqui da nossa Instituição são favoráveis, pois os cursos EaD da UAB-UFMA já avaliados têm conceito 4 e 5, considerados de excelência pelo MEC.

Os Cursos da UNASUS-UFMA possuem um sistema de avaliação próprio integrado ao ambiente virtual, e para a nossa satisfação, as avaliações realizadas pelos cursistas se apresentam sempre muito favoráveis, o que estimula a equipe a seguir em frente dando sempre o seu melhor.

Para a senhora, qual é o cenário ideal para se implantar a educação a distância no país?

AEF: O cenário ideal para se fazer algo diferenciado é sempre o dia de hoje, e deve ser construído pautado na busca pela inovação, democratização do conhecimento e pela excelência do ensino, de forma a explorar todo o potencial da modalidade, porém respeitando também os seus limites. A instituição que pretende incorporar de forma definitiva a EaD deve apresentar propostas com modelos pedagógicos adaptados aos alunos de hoje, com metodologias eficientes e atraentes, utilizando-se de recursos educacionais instigantes e interativos.

Os professores e tutores deverão estar capacitados e atualizados para propor e mediar atividades de aprendizagem mais complexas e desafiadoras, desenvolver meios de realizar o monitoramento e avaliação dos seus alunos em tempo real, sem esquecer, entretanto, que também serão mais exigidos pelos seus alunos, ansiosos por conhecimentos mediados pela tecnologia. Porém, tem-se que destacar também que o ecossistema tecnológico utilizado pelo professor tem que ser inovador, intuitivo, de fácil navegabilidade, de forma que possa corresponder às boas propostas pedagógicas e aos anseios dos docentes e discentes.

A EaD não deve ser somente um discurso, mas um compromisso efetivo da instituição, conforme está acontecendo na atual gestão do nosso reitor Natalino Salgado, pois as instituições que reconhecerem o importante papel das tecnologias na educação, certamente obterão bons resultados nas avaliações externas e no reconhecimento da comunidade acadêmica em geral.

Não podemos deixar para o futuro algo que já pode ser implementado atualmente. A pandemia somente acelerou esse processo de hibridização do ensino às ferramentas digitais, exigindo uma mudança de paradigmas para todos aqueles que, com mentes abertas, podem tornar esse momento uma oportunidade de reciclagem para adentrar no maravilhoso campo da docência auxiliada pelas TICs.

A EaD na UFMA, no futuro, pode avançar para a pós-graduação, latu sensu e strictu sensu?

AEF: Acredito que a EaD se aplica em todas as esferas do ensino, desde que os limites da modalidade sejam respeitados. E já estamos tomando medidas para incentivar e apoiar o desenvolvimento de projetos para oferta de cursos lato sensu autofinanciáveis, ainda neste ano, com uma grande receptividade por parte de muitos docentes. E todos aqueles professores que quiserem submeter projetos nesse sentido é só entrar em contato com a Dinte, por meio do e-mail dinte@ufma.br, colocando no assunto “Interesse em Desenvolver um Projeto de Curso de Especialização”.

Quanto ao stricto sensu, já foram iniciadas as tratativas junto à Capes nesse sentido, inclusive, com participação presencial do reitor Natalino Salgado, onde recebemos uma resposta de incentivo bastante favorável da Capes para a oferta de mestrados por EaD na UFMA. A chegada da pandemia dificultou um pouco essa articulação, mas pretendemos brevemente retomar essa tratativa, por acreditar ser de grande importância para a nossa Instituição. Assim, creio que, em breve, avançaremos também nesse sentido.

BNC Educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.