GRANDE ILHA – Muitos segmentos mudaram ou estão em processo de mudança desde o início da pandemia de Covid-19. Fica-se cada vez mais em casa em comunicações virtuais em diversas mídias e plataformas. O mundo, no entanto, não parou, e a vida em sociedade — mesmo que em novas dinâmicas — mantém um senso comum: ainda se produzem e se ouvem muito sons.

Nessa perspectiva, o Grupo de Pesquisa em Estratégias Audiovisuais na Convergência (G-Peac), que integra as linhas de pesquisa do Núcleo de Estudos em Estratégias de Comunicação (Neec) da Universidade Federal do Maranhão, aplica o questionário “Dinâmicas sociais e suas sonoridades: a percepção da paisagem sonora de São Luís durante a pandemia de Covid-19” com o intuito de observar o comportamento do público local em relação à emissão e recepção de sons nas novas formatações individuais e coletivas de vivência.

Dividido em duas partes, o estudo busca avaliar como os participantes da pesquisa observavam a paisagem sonora em que estavam inseridos antes da pandemia e como ela se comporta agora com o distanciamento social e outras medidas sanitárias em exercício. No questionário, dados como localização dos respondentes e rotina (atividades e horários dentro e fora de casa) se apresentam entre perguntas objetivas e discursivas a respeito do tema.

A equipe responsável pela pesquisa é composta pelos professores do Departamento de Comunicação Social Rose Ferreira, coordenadora-geral do G-PEAC; e Carlos Benalves, vice-coordenador do G-PEAC; além do técnico-sonoplasta e pesquisador Saylon Sousa, do Laboratório de Rádio da UFMA.

“O questionário vai diretamente ao ponto de perguntar que sonoridades, que paisagens sonoras são essas apresentadas durante a pandemia e de que maneira esses sons são observados, se eles são interessantes, proporcionaram mudanças internas sobre a percepção auditiva e no comportamento dos participantes ou se esse ‘silêncio’ nem foi percebido. A ideia é entender a relação humana com o som e como isso afeta as dinâmicas sociais”, explicou a coordenadora do G-PEAC, Rose Ferreira.

O questionário pode ser acessado por meio do link disponível no perfil @neec_ufma no Instagram ou em um link direto. A participação é voluntária e pode ser feita por qualquer pessoa que tenha residência em São Luís (fixa ou temporária) durante o período de quarentena. Os dados pessoais dos participantes ficarão em sigilo e poderão ser contatados pela equipe para eventuais consultas durante o período de análise dos dados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.