Mutirão do ICRIM de São Luis realizou 1.506 laudos periciais e 4.459 corpos de delito no periodo de abril a junho de 2019

GRANDE ILHA – Incumbindo nas ações de comprometimento pela segurança pública, o Instituto de Criminalística de São Luís realizou entre os meses de abril a junho, um mutirão objetivando no aceleramento dos atendimentos e entregas dos laudos periciais. O Instituto de Criminalística de São Luís iniciou o mutirão de confecção de laudos desde o dia 01 de abril de 2019 e com término no dia 30 de junho de 2019. Neste período o Icrim confeccionou 1.506 laudos, sendo 806 laudos das Seções de Perícias de Perícias Internas (Balística Forense); 700 laudos das Secções Periciais Externas. Foram realizados ainda, a quantidade de 4.459 corpos de delitos analisados, periciados e depurados.

O mutirão desenvolvido pelo Icrim de São Luís, com a participação direta dos peritos Oficiais de natureza criminal, bem como a colaboração dos servidores administrativos; é uma resposta à sociedade maranhense, no sentido de minimizar os problemas da sociedade, no quesito da confecção de laudos e seguidamente, dar impulso oficial aos Inquéritos Policiais Denúncias Ministeriais e Processos Judiciais Criminais, os quais estão ligados a conduta criminosa.

Os números realizados pelo Icrim e repassados pelo Superintendente de Polícia Técnico Científico (SPTC), Miguel Alves são que “Durante o mutirão, foram confeccionados 1.506 laudos, sendo 806 laudos das Seções de Perícias de Perícias Internas (Balística Forense, Documentoscopia Forense, Informática Forense, Contabilidade Forense, Identificação Veicular). Foram realizados ainda 700 laudos das Seções de Perícias Externas (Crimes Contra a Pessoa, Acidente de Trânsito, Crimes Contra o Patrimônio, Vistorias em Veículo e objeto, Engenharia Forense e Meio Ambiente, Interpretação de Fichas SMTT, BPTRAN e PRF), os quais resultaram na quantidade de 4.459 corpos de delitos, estes analisados, periciados e depurados, além de estarem a disposição para serem recebidos e coletados pela autoridade solicitante dos exames periciais. Foram realizados ainda, a quantidade de 4.459 corpos de delitos analisados, periciados e depurados”, considerou o superintendente da SPTC.

Sendo uma ferramenta de emanação de maior eficiência no tocante a análise de vestígios de crime, bem como ampliação da liberação de laudos periciais de natureza criminal, o mutirão do Icrim traz como regra. Mais de um corpo de delito a ser analisado. Uma ocorrência de informática Forense pode trazer consigo, 04 celulares e mais 02 notebooks e mais 05 HDs e todos, após analisados, estarão alicerçados em somente um único laudo. O Diretor do Icrim, Robson Mourão acrescentou “Diante desse fato buscamos quantificar, nesse mutirão, não somente o número de laudos produzidos, mas também o número de corpos de delitos, que no caso, é o conjunto dos vestígios relacionados ao crime e a conduta criminosa. Nesta somatória, chegamos ao número de 1.506 laudos produzidos e 4.459 corpos de delitos analisados, ambos somente no período do mutirão do Icrim de São Luís, realizado no período de 01 de abril a 30 de junho de 2019”, considerou o diretor do Icrim de São Luís.

Ampliação dos atendimentos na capital

Dando ênfase nos atendimentos para o mês de junho de 2019, o Diretor Robson Mourão Lopes, expos ainda, que “Até o mês de junho, o Icrim já “recebeu”, 2.752 ocorrências periciais e já produziu 2.747 laudos periciais, gerando portando, uma eficiência de 99,82% de laudos produzidos em relação ao número de ocorrências recebidas. Somente no primeiro semestre de 2019, já foram produzidos mais de 3.000 laudos, estando disponibilizados para os delegados, promotores e Juízes. O Mutirão veio auxiliar a Justiça e o esclarecimento da verdade, dos fatos e estar á disposição de uma maior eficiência para com a sociedade. Quero parabenizar e o empenho dos Peritos Criminais, bem como dos funcionários administrativos deste órgão, pois foi fundamental para os êxitos deste mutirão do Incrim. Quero agradecer a Secretaria de Segurança Pública (SSP), na Pessoa do Secretário de Segurança Jefferson Portela; Delegacia Geral da Polícia Civil (DG), por meio do Delegado Leonardo Diniz e a Superintendência de Polícia Técnico Científico (SPTC), pelo Superintendente Miguel Alves, os quais ombreados, ampliam os atendimentos na capital”, destacou.

POR Mauro Wagner

Com Informações da SSP/MA

BNC Polícia

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.